Reformar a casa sem dor de cabeça

Além de não ser nada agradável morar em uma casa que está em obras, materiais de construção e, principalmente, os acabamentos geralmente são itens caros. Portanto, para reformar a casa sem dor de cabeça, é preciso planejar muito bem a reforma para não estourar o orçamento e ter que gastar mais paciência e dinheiro do que o previsto.

Confira as dicas:

1- Antes de definir quais reparos serão feitos, é essencial listar os gastos previstos, para assegurar que o projeto seja condizente com orçamento disponível e evitar paralisações nas obras por motivos financeiros;

2- O auxílio de um arquiteto no planejamento da reforma é indispensável para evitar imprevistos. O profissional deve desenvolver um plano bem definido, detalhando todas as etapas do processo, para garantir a entrega no prazo combinado;

3- Outra dica é optar por uma reforma objetiva, sem muitos detalhes que dificultem a execução e comprometam o prazo. A ousadia pode estar presente, mas sempre em soluções rápidas, como nos revestimentos;

4- Mudanças no decorrer da reforma atrasam, e muito, a entrega. A indecisão é a principal inimiga dos prazos. Daí a importância de ter um projeto maduro, bem alinhado e aprovado pelo cliente;

5- Fique de olho nas promoções e oportunidades para economizar na compra de material de construção, revestimento e até mobiliário. Os meses de janeiro e fevereiro costumam ser uma época propícia para encontrar descontos.

Fonte: Revista Exame

Vidro na casa toda: Saiba escolher o tipo correto

Graças aos avanços tecnológicos, ele não para de mostrar sua versatilidade e eficiência em fachadas, paredes e pisos.

Como podem ser combinados para obter diferentes índices de transmissão de luz e calor, eles contribuem para a eficiência energética das construções, diz o arquiteto paulistano Paulo Duarte, especialista em envoltórios de edifícios.

Controle solar

Pode-se dizer que os vidros espelhados foram a primeira geração de modelos com controle solar, pois eles barravam o calor, só que também impediam a passagem da luz, representando um gasto maior com energia elétrica, diz Paulo Duarte. Além disso, a aparência dos espelhados ficou muito associada a edifícios corporativos, o que não é atraente para o mercado residencial. Em casa, as pessoas querem visibilidade e integração com a paisagem, fala Lucien Belmonte, superintendente da Associação Técnica Brasileira das Indústrias Automáticas de Vidro (Abividro). Por isso, a preferência hoje pelos modelos transparentes, que permitem criações de estética ousada e visibilidade total, caso do Espaço X3, criado pelo arquiteto paulista Fernando Brandão para a mostra Casa Cor Trio. O espaço do meu projeto, na arquibancada do Jockey Club de São Paulo, era voltado para a pista de corridas e uma bonita vista da cidade. Por isso, a transparência ali era essencial. Desenhei então um escritório que combina estrutura de aço e fechamento com vidros do tipo seletivo, já que o sol da manhã incide diretamente no local, conta Fernando.

Especificações de usos

Uma das grandes vantagens do vidro é sua versatilidade. Além da aplicação mais comum, em esquadrias, ele serve até como estrutura”, diz o presidente da Abravidro, Wilson Farhat Júnior. Mas, para uma utilização correta e segura, é necessário seguir as especificações da norma 7199 da ABNT, fala a engenheira civil Danila Ferrari, do departamento de engenharia da Fanavid. Guarda-corpos e coberturas, por exemplo, pedem vidros laminados, que são compostos de duas ou mais chapas do material unidas por filmes de segurança. “Outras condições do local, como ventos e diferenças de temperatura, também influenciam. Por isso, somente um projeto detalhado pode determinar a espessura e o jeito correto de fixar os vidros, completa Danila. Sacadas e varandas ainda não têm uma norma publicada, mas de qualquer modo devem ser fechadas por algum vidro de segurança, seja laminado ou temperado. Este último tem resistência cinco vezes maior que o vidro comum. Placas temperadas e laminadas são a combinação recomendada para degraus de escada e pisos, que têm espessura e tamanho indicados pela carga, uso e fatores ambientais.

Fonte: Site Casa Abril
Por Edson Medeiros, Lucila Vigneron Villaça e Piero Rossini (assistente) para Casa Abril Fotos: André Fortes (produtos)

Grupo Roca lança nova linha de produtos para 2013

O Grupo Roca, proprietário das marcas Roca, Incepa e Celite, lançou em São Paulo uma nova leva de produtos para 2013. A Incepa, focada no consumidor classe B, anunciou um grande número de novidades, 22 louças e metais sanitários foram apresentados. Entre elas, estava a linha Boss, com louças sanitárias assinadas pelo designer italiano Antonio Bullo, especializado em banheiro. As peças custam de R$ 280 a R$ 800. Também merece destaque a linha Euro, com cubas de diferentes formatos, cada um com nome de um país da Europa, custando entre R$ 360 e R$ 500.

Abaixo, fotos de alguns produtos lançados – que chegam ao mercado entre outubro e o final do primeiro trimestre de 2013.

FOTO1 – Coluna de hidromassagem Fresh 2.0, da Roca. Feita de acrílico, a coluna tem água em temperatura constante, devido ao misturador termostático. O produto é instalado sem necessidade de quebra-quebra e possui ducha de mão, jatos de água superiores e inferiores. Os jatos têm três funções: efeito de chuva, jato concentrado e spray. Disponível na cor branca e no tamanho 1,45 x 0,50 m.

FOTO2 – Linha Boss, da Incepa. A coleção de louças sanitárias é assinada pelo designer italiano Antonio Bullo.

FOTO3 – Banheira Element, da Roca. Desenhada pelo arquiteto britânico David Chipperfield, mede 1,8 X 0,8 m.

FOTO4 – Torneira de parede, da linha Basic, da Celite. A peça tem acionamento de ¼ de volta e aerador oculto. Mede aproximadamente 20 cm de comprimento.

FOTO5 – Cuba de apoio Alemanha, da linha Euro, da Incepa. Mede 45 x 45 cm.

FOTO6 – Cuba de apoio França, da linha Euro, da Incepa. Mede 50 x 34 cm.

FOTO7 – Torneira de mesa com bica alta, da Linha Basic, da Celite. A peça tem acionamento de ¼ de volta e aerador oculto, o que deixa o design mais clean. Tem 37 cm de altura.

Fonte: Site Casa Abril

Novos revestimentos

Em pisos e paredes, resistência, praticidade na instalação e limpeza fácil são os quesitos que mais contam. Siga esse roteiro traçado pelo arquiteto Décio Navarro e conheça boas novidades do mercado.

  • Você gosta de cimento queimado? Todo mundo parece gostar. Mas as rachaduras e a necessidade de manutenção desanimam os usuários. Por isso, a indústria criou placas de porcelanato que reproduzem seu efeito e dispensam seu inconveniente.
  • Cimentícios, resinas e porcelanatos reproduzem com perfeição a madeira e deixam os espaços calorosos sem precisar raspar, encerar e evitar umidade.
  • Em poucas horas o ambiente se renova com os novos revestimentos de parede. Fáceis de instalar, vão de painéis com desenhos 3D a papéis autoadesivos e produtos que copiam tijolos e pedras.
  • Azulejos antigos e ladrilhos hidráulicos rendem composições atraentes, que você mesmo cria personalizando o seu projeto.
  • Os porcelanatos continuam campeões de venda. Aliando beleza, resistência e poucos cuidados para limpar, eles têm vários tamanhos que se adaptam a áreas grandes e pequenas.
  • Capriche na escolha do rodapé. Arremate do piso e da parede, essa peça precisa estar em sintonia com a decoração e adequada ao tipo de uso do espaço.

Fonte: Site Casa Abril

Adega perfeita – Três atributos fundamentais para compor o ambiente.

Adega PerfeitaClimatização: O local da adega deve funcionar como uma grande geladeira mantida a 14 °C.

Iluminação delicada: Evite a oxidação das bebidas pela claridade em excesso ou calor emitido pelas lâmpadas.

Marcenaria planejada: Estantes devem prender as garrafas numa inclinação de 14 graus, ângulo ideal para o contato da bebida com a rolha.

 

Ideias acessíveis no evento Morar Mais Por Menos em Belo Horizonte.

Sustentabilidade, inclusão social, brasilidade, tecnologia, inovação e customização são algumas das palavras de ordem do evento Morar Mais Por Menos em BH.

No projeto abaixo, o destaque são os painéis de garrafas PET recicladas, os tijolos e decks ecológicos, além da iluminação que acentua o intimismo no ofurô.

Ofuro mais por menos

Parede interativa – É possível escrever e desenhar com giz na superfície recoberta de esmalte sintético preto fosco, da Coral.

Sobre o projeto: “Na parede interativa o fundo escuro fica mais elegante do que a pintura verde-lousa tradicional. Como entra claridade de sobra pelas janelas, o ambiente permite essa opção”, explica a arquiteta Yáskara Jaeger.

Lousa interativa

Horta caseira – Essa horta foi feita com o aproveitamento das calhas da casa que precisavam ser trocadas.

Quer coisa melhor do que poder ter uma horta caseira com temperos frescos sempre a mão para caprichar na culinária?

Horta em Calhas